Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Perseveremos na oração

Imagem
Quantas pessoas você já chamou para rezar na Hora da Misericórdia? Convidou algum doente ou alguma criança? Imprimiu e fotocopiou algum panfleto em tamanho A4 ou meio A4? Distribuiu a seus amigos? Conversou com seu pároco ou com seu bispo? Alertou seu colega de trabalho ou de escola sobre o PT? Informou que todo candidato petista é comprometido com o aborto?
Não nos preocupemos com o aparente avanço do inimigo. Se perseverarmos até o fim seremos salvos.

A paz da oração

Já são quase três horas, a hora da misericórdia.
Rezar um terço da misericórdia e um rosário diante do Santíssimo Sacramento é algo que traz grande paz.
A tribulação pela qual estamos passando faz com que nos aproximemos mais de Deus.
Como sempre, Deus permite um mal para que dele possamos extrair um bem maior.
Peço aos meu amigos que não apenas rezem, mas chamem os outros para rezar.
"Sou todo teu, ó Maria, e tudo o que é meu é teu"
Coração Imaculado de Maria, livrai-nos do inimigo.

O inimigo já canta vitória

Dilma Rousseff não apenas está certa da vitória. Está certa de vencer em primeiro turno, tingindo de vermelho nossa bandeira, legalizando a morte de inocentes, expulsando os símbolos religiosos do governo e substituindo-os pela estrela vermelha de cinco pontas.
Ela zomba de nós, cristãos. Não achou necessário comparecer ao debate da TV Canção Nova a fim de explicar seu apoio ao aborto, à união civil de pessoas do mesmo sexo, à adoção de crianças por duplas homossexuais e ao reconhecimento da prostituição como uma profissão. Alegou falta de tempo em sua agenda. No entanto, durante o debate, ela postava em sua página no Twetter uma mensagem indicando um novo álbum da banda mineira "Pato Fu": "Olha que interessante, o Pato Fu interpretando músicas de sucesso usando instrumentos de brinquedo".
Ela conta com a máquina petista, com o apoio explícito do atual presidente durante o horário eleitoral gratuito, com a fascinação do povo pelas esmolas conhecidas como bolsa-famíl…

Dilma, a ausente

No debate entres os candidatos à presidência promovido pela TV Canção Nova em 24 de agosto de 2010, Dilma Rousseff chamou atenção por sua ausência.
De fato, em um ambiente como aquele, em que pululavam perguntas relativas à vida e à família, Dilma ficaria extremamente embaraçada. A ausência dela foi atacada pelo candidato Plínio Arruda Sampaio (PSOL).
Plínio destacou-se pela maneira direta e incisiva de responder às questões. Declarou-se contrário à ostentação de símbolos religiosos nas repartições públicas e favorável à decisão da mulher de fazer ou não um aborto. Embora nenhum cristão possa votar nele, é admirável que ele tenha tido clareza em expor suas posições e as de seus Partido (PSOL).
Marina Silva procurou dar ao debate um tom suave. Contra o aborto, mas disposta a um plebiscito sobre o tema. Seu partido (PV), porém, inclui em seu programa a "legalização da interrupção voluntária da gravidez". E pelo Estatuto, ela é obrigada a seguir o programa do Partido.
Entre os deba…

Todo candidato do PT é comprometido com o aborto

Isso se demonstra com os seguintes fatos:1. Todo candidato do PT é obrigado a assinar o Compromisso do Candidato Petista, que “indicará que o candidato está previamente de acordo com as normas e resoluções do Partido, em relação tanto à campanha como ao exercício do mandato” (Estatuto do PT, art. 128, §1º[1]).2. Entre as resoluções que todo candidato se compromete a acatar está uma denominada “Por um Brasil de mulheres e homens livres e iguais” aprovada no 3º Congresso do PT (agosto/setembro 2007), que inclui a “defesa da autodeterminação das mulheres, da descriminalização do aborto e regulamentação do atendimento a todos os casos no serviço público[2].3. Em 17 de setembro de 2009, dois deputados foram punidos pelo Diretório Nacional. O motivo alegado é que eles “infringiram a ética-partidária ao ‘militarem’ contra resolução do 3º Congresso Nacional do PT a respeito da descriminalização do aborto[3]Logo, não apenas a Sra. Dilma Rousseff, mas todo candidato do PT está formalmente com…

"Eu vim para que todos tenham vida"

Imagem
Dom Luiz Gonzaga ataca novamente. Depois do artigo "Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus", o Arcebispo de Guarulhos reafirma sua posição contrária ao voto em Sra. Dilma Rousseff, por ser defensora da descriminação do aborto.
O artigo a seguir, publicado no sítio da Arquidiocese de Guarulhos, termina com uma importante citação de Dom Henrique Soares, Bispo Auxiliar de Aracaju: "É nosso dever de cristãos e de cidadãos procurar votar de modo consciente e esclarecido, pensando unicamente no bem comum...afinal, um voto pode nos mandar para o inferno: aqui, por quatro anos e, após a morte, por toda a eternidade!”

“Eu vim para que todos tenham vida” (Jo 10,10)03-08-2010 - 12:47 Aos meus diocesanos

Sob o título “Dai a César o que é de César”, na edição do mês de julho da Folha Diocesana, na coluna “A Voz do Pastor”, nós recomendávamos aos verdadeiros cristãos e católicos a não votarem em todo e qualquer partido e candidato que fossem contrár…

“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”

Imagem
Em 29/07/2010, o Bispo de Guarulhos (SP) Dom Luiz Gonzaga Bergonzini publicou o artigo “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”, no qual orienta os eleitores a não votarem em Sra. Dilma Roussef, por ser defensora do aborto.
Veja abaixo a íntegra do artigo, sobretudo a parte em negrito.
"Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus" (Mc 12,17)29-07-2010 - 18:38Com esta frase Jesus definiu bem a autonomia e o respeito, que deve haver entre a política (César) e a religião (Deus). Por isto a Igreja não se posiciona nem faz campanha a favor de nenhum partido ou candidato, mas faz parte da sua missão zelar para que o que é de “Deus” não seja manipulado ou usurpado por “César” e vice-versa.
Quando acontece essa usurpação ou manipulação é dever da Igreja intervir convidando a não votar em partido ou candidato que torne perigosa a liberdade religiosa e de consciência ou desrespeito à vida humana e aos valores da família, pois tudo …